Com prioridades definidas, Flamengo se dá fôlego e estuda com calma os passos por substituto de Jesus

Clube não conta com novo treinador na próxima semana e avalia sem pressa opções no mercado. Braz e Spindel só viajam à Europa após alvo definido e contatos iniciados

Gelo no sangue é mais do que um bordão.

O Flamengo trabalha com paciência na busca do substituto de Jorge Jesus. Com representação do elenco adiada para quarta-feira, o clube estica a corda até a semana seguinte para que o novo comandante chegue ao Ninho do Urubu e avalia o mercado com prateleiras bem definidas por ordem de preferência: um novo português, um estrangeiro de outra nacionalidade e, por fim, um brasileiro.

A diretoria rubro-negra ainda não definiu um alvo e debate possibilidades enquanto espera secar a ferida pela saída do Mister. Marcos Braz e Bruno Spindel estão preparados para viajar à Europa no meio da próxima semana, mas o desejo é iniciar conversas ainda do Brasil. O cenário desejado é de que a negociação presencial seja um segundo estágio, já para definir, como aconteceu com o próprio Jorge Jesus e em tratativas por reforços.

A primeira preocupação dos dirigentes foi desconstruir a necessidade de encontrar um “novo Mister”. A discussão é em cima de perfis que se adequem ao material humano do Flamengo e com características próprias. A comparação com Jorge Jesus, por sinal, é um problema que Braz e Spindel terão que diluir no processo de persuasão, principalmente para cumprir o objetivo de contratar um novo português.

No radar de Marcos Braz desde antes mesmo de qualquer rumor de saída de Jesus, Marco Silva é um profissional que se preocupa com essa sombra. Em contato com o GloboEsporte.com, Vítor Gonçalves, representante do treinador pela Pro Eleven Sports, declarou:

– Observamos com muita atenção tudo que acontece no Flamengo, é um grande clube, mas para qualquer treinador português agora assumir é muito difícil pela comparação com Jorge Jesus. Não fomos procurados, conheço o Marcos Braz. No momento, a preferência é um das cinco grandes ligas da Europa.

Braz conheceu o trabalho de Silva antes mesmo de assumir a vice-presidência de futebol do Flamengo, em visita para network ao Everton, clube que demitiu o português em dezembro de 2019. O bom relacionamento e os elogios nos bastidores, por sua vez, não representam uma preferência absoluta. Todos os nomes colocados na mesa são estudados minuciosamente em aspectos técnicos, táticos e comportamentais.

O sucesso do projeto Jesus reforça a autonomia do departamento de futebol na escolha, com peso quase absoluto no já conhecido debate com o Conselheiro de Futebol, encabeçado por BAP. A preocupação não é com o tempo de negociação, mas em dar um tiro certeiro. Depois do Mister, o Flamengo não se dá ao direito de flertar com o erro por pressa.

Fonte: Globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest